O que é Incontinência Urinária?

Captura%2520de%2520Tela%25202021-03-16%2

A incontinência urinária é perda da urina sem querer, ou seja, perde-se xixi de maneira involuntária ou inconsciente. A perda de urina pode estar relacionada ou não.

Uma doença extremamente comum entre as mulheres, principalmente naquelas ao redor dos 50 a 60 anos de idade. Geralmente ocorre quando existe um enfraquecimentos dos músculos da pelve (assoalho pélvico) capazes de manter a bexiga e uretra com tônus normal

Quais os tipos de Incontinência Urinária?

  • Incontinência Urinária de Esforço: causado por perda da fossa muscular da pelve. A paciente apresenta dificuldade de segurar a urina principalmente durante exercícios físicos, subir escada, rir, tossir.

 

  • Incontinência Urinária de Urgência:relacionada a uma contratibilidade ou sensibilidade excessiva da musculatura da bexiga, o que a torna incapaz de segurar a urina por muito tempo. A paciente apresenta desejo de urgência para ir ao banheiro, muitas vezes, molha a calcinha por não dar tempo de chegar. Em outros casos, precisa ir ao banheiro inúmeras vezes para urinar, e sempre permanece a sensação de que ainda precisa fazer xixi.

Quais as causas de Incontinência Urinária?

  • Deficiência da musculatura pélvica ou do controle dos esfíncteres da bexiga e uretra

  • Obesidade

  • Gravidez e parto

  • Tosse crônica

  • Doenças neurológicas ou neurodegenerativas

  • Constipação crônica

Como diagnosticar a Incontinência Urinária?

O diagnóstico da incontinência é clinico. A queixa da paciente associado ao exame é suficiente para esclarecer o diagnóstico. No entanto, algumas táticas podem ser usadas para diferenciar qual o tipo de incontinência e qual o melhor tratamento, como o estudo urodinâmico.

Quais os tratamentos para a Incontinência Urinária?

  • Prevenção: por se tratar de um enfraquecimento dos nossos músculos, os exercícios de fortalecimento da região pélvica em todas as fases da mulher é necessário. 

  • Fisioterapia: a fisioterapia pode atuar como prevenção do aparecimento e da progressão da doença. Também é utilizada para o tratamento da mesma.

    • Biofeedback eletromiográfico: o aparelho permite a leitura e interpretação em tempo real da atividade elétrica das fibras musculares do assoalho pélvico, assim, é possível identificar os músculos enfraquecidos e fortalece-los.

    • Eletroestimulação: técnicas para fortalecimento muscular

  • Diminuir fatores de risco: Atividade física, suspender o tabagismo, alimentação correta com uso de fibras.

  • Medicamentos: existem algumas medicações utilizadas para diminuiu a sensibilidade da musculatura vesical. Muito utilizado nas Incontinências de Urgência

  • Cirurgias: as cirurgias são indicadas quando a incontinência provoca um importante  comprometimento da vida da mulher, tanto sexual, quando social. Há diversas técnicas utilizadas e são aplicadas estrategicamente para a correção da doença.

 

Para maiores orientações e esclarecimentos, procure um especialista. 

Estou aqui para te ajudar!