Artigos Mais Recentes

Entendendo a Videolaparoscopia

Atualizado: 18 de Nov de 2018

Descubra o que é e como funciona o método cirúrgico queridinho dos cirurgiões e das pacientes!




Mas afinal, o que é videolaparoscopia?

A Videolaparoscopia é uma alternativa a técnica de cirurgia convencional. É também conhecida e reconhecida por diversos nomes: cirurgia minimamente invasiva, videocirurgia, laparoscopia, endoscopia ginecológica, etc.


E como funciona?

A videocirurgia utiliza uma microcâmera para a visualização da cavidade abdominal que é projetada em uma tela, e os nossos olhos ficam fixos a ela! Associado a isso, delicados instrumentos de até 10mm são utilizados para realizar as cirurgias. Estes instrumentos passam através da pele utilizando portais, que funcionam como uma "ponte", e ligam o meio externo ao interno. Eles simulam as nossas mãos.

São com esses olhos e mãos "alternativas" que diagnósticos e tratamentos de diferentes complexidades podem ser realizados de forma inovadora


A tela são os nossos olhos e os instrumentos, nossas mãos.”

Mas qual a vantagem deste método cirúrgico?

Este método possui alta precisão e tecnologia envolvida. O zoom oferecido pela microcâmera proporciona uma visão de alta qualidade e próxima aos tecidos que serão trabalhados, o que muitas vezes não é possível de realizar ao olho nú.

Além disso, os pequenos e delicados instrumentais são capazes de alcançar espaços apertados e de difícil acesso, e que são dificultosos com o uso das próprias mãos.

As pequenas incisões ou cortes utilizados para esta cirurgia promove uma estética perfeita a paciente e diminui de maneira importante os danos aos tecidos da pele e de planos profundos, reduzindo de maneira importante as dores do pós operatório.


Cirurgiões bem treinados e capacitados farão diferença no resultado final.”

Quais as doenças que podem ser tratadas com a videocirurgia?

A videocirurgia é muito utilizada para tratamentos, mas eventualmente também para alguns diagnósticos (seu médico irá escolher esta opção quando necessário).

Nas últimas duas décadas, a videolaparoscopia evoluiu de maneira exponencial e hoje consta com instrumentos de alta tecnologia, sendo passível o seu uso para a maioria das doenças ginecológicas.

De maneira geral, podemos dividir as doenças ginecológicas em alguns grupos:

- Doenças do útero: Miomas, Adenomiose, Sangramento Uterino Disfuncional, Dor pélvica, Endometriose, câncer de colo e endométrio, etc. (#mioma, #endometriose, #infertilidade).

- Doenças da Tuba: Esterilização ou laqueadura/retirada da trompa, Hidrossalpinge ou Hematossalpinge, Gravidez ectópica, etc. (#laqueadura)

- Doenças do Ovário: Cistos do ovário, endometrioma, câncer de ovário, etc. (#cistos, #endometrioma).

A maioria das doenças ginecológicas podem ser tratadas com este método.”

É indicado para todas as pacientes?

Infelizmente não. Como dito acima, algumas doenças e algumas condições do estágio atual da doença pode interferir na indicação deste método, assim como algumas condições da paciente.

Procure sempre seu médico de confiança e com formação adequada nesta área. Ele irá esclarecer todas as suas dúvidas e fazer deste momento apreensível, uma trajetória agradável.


9 visualizações